quinta-feira, 20 de junho de 2013

Capitulo IV - A Vida é Bela 2

O Pedro tinha razão já eram mais que horas de fazermos "aquilo", eu tinha de o esquecer...ou melhor eu queria esquecer o Mark naquele momento.
-Es-espera Sabi. Não é demasiado grande? Achas que vai dar?-perguntou-me Pedro.
Sorri-lhe. Apanhei o meu cabelo com um elástico fazendo um "rabo de cavalo" e assegurei:
-Não te preocupes, vai correr bem.
-Se por ti está tudo bem, devíamos começar, Princesa?-O Pedro agarrou na minha cintura e elevou-me no ar.-Então, está bom aqui?
-Sim.-balbuciei. O Pedro pousou-me e eu lancei-lhe um enorme papel branco para as mãos.-Não te disse que tinha o tamanho certo?
O Pedro sorriu, mas o seu olhar estava estranho mostrava-me algo que o próprio Pedro não me queria mostrar.
Aproximei-me dele e enrolei as minhas mãos à volta da sua cintura.
-Sab-Sabrina....
-Eh?! Agora já não é Sabi?-perguntei com um toque de ironia na voz. Olhei para o rosto de Pedro, o rapaz estava com as faces bastante rosadas e a minha cabeça encostada às suas costas conseguia ouvir o bater acelerado do seu coração.
Naquele momento soltei-o, não podia empata-lo mais e aquilo que eu fazia com o Pedro era o mesmo que a Inês fazia com o Mark. Fiquei imóvel uns segundos a pensar no que de tão especial teriam aqueles irmãos e o que seria que os dois haviam de fazer com o nosso casal. Iriam juntar-nos ou separar-nos?
O Pedro deu-me uma leve cotovela nas costas e fez-me despertar de imediato.
-...bina?
-Ham? O quê?-perguntei confusa ainda dentro dos meus pensamentos.
-No que estavas a pensar? Não me estavas a ouvir.-disse Pedro pegando em inúmeras canetas de diversas cores.
-Desculpa estava a pensar em ti e....quer dizer.-Corei. O Pedro ficou com um sorriso nos lábios de orelha a orelha. Pousou as canetas e colocou os seus braços em volta da minha cintura pousando a sua cabeça no meu ombro esquerdo.
-Afinal apesar de dizeres que não te interesso, confessa que algo em mim mexe contigo.-o Pedro inclinou a cabeça beijando de leve o meu pescoço fazendo-me ter um pequeno arrepio que percorreu todo o meu corpo. Não me conseguia mexer, a minha mente tinha ficado totalmente em branco.
Os lábios do Pedro acariciavam-me docemente a face e o pescoço, eu sabia bem a quem queria que aqueles lábios carinhosos e cheios de amor pertencessem.
-Pe-Pedro.-disse devagar.
O jovem olhou para mim e reparou que eu estava assustada, deu-me um ultimo beijo demorado no rosto e afastou-se de seguida.
-Bem Prin...Sabi qual a cor que preferes para o nome?-perguntou-me com cara de insegurança, sabia que ele não o tinha feito por mal, sei qual o sentimento que ele sentia, sabia-o muito bem; desejava também ter sido capaz de enfrentar tudo e todos e ter chegado ao Mark tal como Pedro chegara a mim.
-Penso que o laranja seria perfeito.-agachei-me e peguei na fita cola, na tesoura e na fita para fazer um enorme laço amarelo para colocar na ponta do cartaz.
Oh pois, era para isso que seria o enorme papel branco. Apesar de todos os atrasos o voo da Hinata ainda não tinha partido, e sabíamos que deveria passar por estas horas pelo campo, tínhamos de nos apressar. Iríamos pendurar um enorme cartaz no meio do relvado para que a Hinata já mais se esquecesse dos bons momentos que todos havíamos passado juntos.
Evitei cruzar olhares com o Pedro que fazia o mesmo, era difícil trabalhar com alguém sem conseguir olhar para esta.

-Acabamos.-gritei dando um salto e elevando a mão com o punho fechado em posse de vitória. O Pedro fizera o mesmo. Olhei para ele, queria saber como é que ele estava....O meu rosto ficou muito encarnado, o Pedro também tinha decidido olhar para mim naquele exato momento.
Corada que nem um pimentão e colocando única e exclusivamente os meus olhos no cartaz fui enrolando-o juntamente com o Pedro para o levarmos para o meio do campo.

Enquanto caminhávamos por um dos corredores do estádio transportando o enorme papel branco, as duas equipas aproximavam-se de nós.
-Era só o que me faltava.-resmunguei num sussurro.
-Tch. Vamos por outro lado.-disse o Pedro dando a volta com o cartaz.
-Não, Pedro espera. Kyaaaaaaa!-gritei. A minha ponta  do cartaz tinha-me empurrado contra a parede fazendo me bater com a cabeça nesta.
Os meus olhos estavam enevoados, apenas conseguia ver algumas figuras, mas não as conseguia destingir.

Acordei na enfermaria ao som de alguns ressonares. Sentia algo pesado sobre a perna e uma mão quente e grande sobre a minha.
A primeira figura que vi era  Pedro que estava sentado numa cadeira num canto da sala no meu lado direito. Na outra cama da enfermaria, encontravam-se a Yusuru e a Mikaru. O Rivaul estava encostado à minha cama  e à pequena mesa branca com um pequeno vaso de flores que se encontrava colada à mesma. E por ultimo, o grande peso que sentia sobre a perna e a mão quente eram de Mark, não sabia o que havia de fazer naquele momento, sorrir ou chorar.
A minha mão aproximou-se da grande figura morena que se encontrava "sobre mim", acariciou os cabelos de Mark calmamente enquanto a minha outra mão sofria um pequeno aperto. O Mark transpirava e fazia gemidos de dor e tristeza, o seu corpo tremia....

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Na altura em que a Biabia (a autora) estava a postar a fanfic ficamos sem tempo para o blog devido aos estudos. Se ela continuou a fanfiction terei de perguntar.
      Se tiver gostado da fanfiction posso persuadi-la a continua la :3
      Kiss kiss*

      Eliminar