sexta-feira, 12 de abril de 2013

Capitulo II - A Vida é Bela 2

Capitulo II

Durante toda a viagem estivera agarrada ao braço de Pedro, não para lhe dar falsas esperanças, mas para lhe garantir que a nossa amizade já mais se desfazeria.
Eu fui acariciada pelas suas grandes mãos, eram quentes, tinham um toque suave.
Ao chegar-mos ao nosso destino o Mark olhava para mim ligeiramente irritado, conhecia-o bem e podia vê-lo nos seus olhos.
Agarrei-o por trás, as minha mãos, enrolavam-se na sua cintura.
-Estás chateado com o quê?-perguntei.
-Não estou chateado com nada.-Ele desviou o olhar.
-Como queiras.-larguei-o assim e fui para junto da Mikaru.
-Tonta, nunca percebes nada.-suspirou Mark.
Olhei para ele e deitei-lhe a língua de fora.

Vinte minutos faltavam para que o jogo terminasse. O capitão fazia o aquecimento para poder entrar em jogo o mais rápido possível.
Olhei para o marcador, estava 3-1. A minha boca ficou bastante aberta. Seria possível? Estávamos a perder?
Virei-me para o Pedro que se encontrava sentado numa das cadeiras laranjas do meu lado esquerdo.
-O que aconteceu? Como é possível que estejamos a perder por dois?-questionei-o.
O Pedro olhou-me, e baixou ligeiramente a cabeça para o Mark.
-Eh???????!!!!!!!!!!!!-gritei levantando-me da cadeira.
Muitos olhos, muitas cabeças, muitas pessoas olhavam na minha direção.
-Então miúda, está calada!-gritou-me um rapaz de olhos frios e cabelo louro.
-Rui?-perguntei.
-Eu conheço-te?-olhou-me desconfiado.
-RUI!!-corri na sua direção, lágrimas brotavam dos meus olhos, à minha cabeça vinha-me a imagem do dia em que o vira cheio de sangue.

Uma rapariga veio na nossa direção.
-Fogo não consegues largar as muidas só por um minuto?-perguntou a rapariga.
-Ela é que veio ter comigo!-exclamou.
-Hum, hum.-ela não me parecia convencida.-Convidas-te-me para vir contigo e já andas a engatar.-a jovem afastou-se.
Eu larguei o Rui, ia abrir a boca para dizer alguma coisa e ....
-Diz-lhe!!-exigiu.-Foste tu que me abraças-te!
Olhei para a ela, e de seguida para o Rui que parecia procurar algo.
-Rui...-inclinei a cabeça e aproximei a minha face da dele.
Segundos depois os meus olhos avistaram o azul do céu, tinha sido empurrada e caia agora para trás com as mãos do Rui a pressionar-me os ombros. Uma pequena lágrima escorria-me pelo rosto. Parei.
-Para cima!-gritou uma rapariga puxando-me pelo braço. Era a amiga do Rui. Ela era uma jovem de cabelo encaracolado e olhos verdes bem intensos. Agarrava o meu braço com as suas pequenas e delicadas mãos cor de neve.
-Kya.-gritou.
Senti um leve ardor no joelho e os meus olhos avistaram um coração estampado num camisola branca.
-És pesada moça.-disse-me uma voz.
Quando me dei conta do que se tinha passado e que estava em cima da rapariga de caracóis e que esta batera com a cabeça....
-Oh meu Deus!-gritei.-Peço desculpas....

-GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOLOOOOOOOOOOOOOO!!!!!-ouviu-se do altifalante.
-ESPEREM!-gritei-Eu não vi.-disse choramingando.
-Pahahaha.-rui-se-Sai de cima de mim.
Levantei-me automaticamente. O Pedro veio na minha direção perguntar se estava bem e explicou-me cada detalhe do golo.
-Senta-te que pode ser chocante.
Olhei-o surpreendida o Pedro era assim, gostava de nos fazer sorrir e eu gostava dele assim.
-Bem digamos que quando umas certas meninas caíram -disse olhando para mim e para a....ainda não sabem o nome não é? Esperem um pouco mais.-O jogador da equipa adversária que tinha a bola distraiu-se...-foi interrompido.
-Foi o numero cinco?-perguntou a rapariga.
-Sim....Viste o golo com toda esta confusão?-disse.
-Só podia. Era o meu ex, ele é uma lapa, mas fico feliz por saber que se preocupou comigo no meio de um jogo bem importante para a equipa.
-Ahaha. Que fofo.-disse-lhe.
O Pedro sorriu.
-Bem e um certo rapaz tirou-lhe a bola e pumba, foi golo.
-Que rapaz?-perguntei.
-Oh! Não interessa saber quem foi o garoto.-disse com ironia.
-Pedrocas!-disse fazendo-lhe cócegas. O Pedro soltou altissimas gargalhadas.
-Vocês dão-se bem. São namorados?-perguntou-nos a jovem.
-Yap.-disse o Pedro agarrando-me pela cintura.-Somos.
-Oh, namoramos à um tempão.-disse com ironia.

De repente o Rui levantou-se.
-Yuzuro, vamos embora.
-Hello?! Bati com a cabeça, leva-me primeiro à enfermaria, por favor.-disse resmungando.
-Eu vou contigo.-ofereci.-Já que a culpa é minha.-virei-me para o Rui.-Desculpa Rui, apenas estava com saudades tuas, não pensei que me tratasses tão friamente e que já nem te lembrasses de mim. Julgo que nem posso ter mudado muito.-Fiz uma pausa.- Não passou muito desde que nos vimos pela ultima vez. Creio eu, né?.-escorreu-me uma lágrima pelo olho.
O Pedro abraçou-me contra o seu peito.
-Princesa...-sussurrou.
A Mikaru veio rapidamente a correr na nossa direção.
-Viste o golo que o Mark marcou e te dedicou, Sabrina?
-Eh?!-disse surpreendida.
-Sabrina?!-perguntou o Rui metendo a mão sobre o meu ombro.
-Sabrina não é o nome da rapariga que tu querias vir ver, hoje?-perguntou Yuzuro.
As faces do Rui ficar encarnadissimas. Parecia um tomate.
Ainda abraçada pelos fortes e protetores braços do Pedro perguntei:
-Espera...vieste ver-me?-perguntei com um sorriso.
-Yap. O Rui está caidinho por ti. Fartou-se de falar de ti na viagem para cá. "A Sabrina é isto" e "A Sabrina é assado".
-Ai, parece que me estiveram a assar. É que nem assada nem grelhada.-Eu gostava da Yuzuro tinha sentido de humor e parecia-me bem disposta.

Sem comentários:

Enviar um comentário