segunda-feira, 25 de abril de 2011

Sorry!!

Por favor perdoem-me, desculpem-me. *pensa* Hey! Não sou só eu que devo pedir desculpa. *alto* Perdoam-me? Sério??? Arigatou!!!!!! *braço* Adoro-vos!!!
Vai atrasado mas cá está ele.
O meu capitulo *pensa* preciso dos da Tri Ana. *alto* espero que gostem :)

16ºCapitulo-Fanfiction:A vida é bela!
16ºCapitulo: A Joana adora-me?

Então fomos até casa da Joana, não era bem uma casa, era um prédio, a Joana vivia num apartamento.
A Joana abriu a porta do prédio, carregou no botão para chamar o elevador, e enquanto esperávamos que ele chagasse, eu desequilibrei-me e um rapaz segurou-me e impediu que caísse.
Rapaz: Toma mais cuidado podias ter te aleijado.
-Sim. –eu sorri mas quando olhei para o lado reparei que a Joana estava com uma cara de fúria. Então resolvi perguntar: -Joana estás bem?
Joana: Sim estou, acho melhor afastas-te desse rapazola.
Rapaz: Vê lá a quem é que estás a chamar de rapazola.
Joana: A mim não é de certeza.
-Parem os dois mas que raio é que vocês estão a fazer? Estão a discutir no meio da entrada de um prédio, e isso é para quê?, para toda a gente ver como se amam?
Joana e Rapaz: Eu não gosto dele/dela.
-Pois, pois. Contem-me histórias para ver se acredito.
Joana: É verdade!! Ele partiu o meu cavalo de vidro. –eu já me tinha esquecido que a Joana era doida por cavalos, sei que o termo doida não é lá muito bonito, mas a Joana é completamente apaixonada por eles.
-O quê?! Aquele que te ofereci nos anos?!
Joana: Esse mesmo!! Vês?! Agora também já não gostas dele pois não?
-Gosto.
Joana: O quê?!
-Ele ajudou-me e parece-me simpático.
Rapaz: Claro que sou simpático a Joana é que é uma chata.
Joana: Eu?! Uma chata?! Olha quem fala…-olhei para o elevador e reparei que ele já tinha chegado, abri a porta e empurrei a Joana lá para dentro.
Joana: Hey! Sabrina o que estás a fazer?
Rapaz: Então chamas-te Sabrina. Temos de combinar…-e não ouvi mais eu tinha fechado a porta depois dele ter tido combinar, eu não queria combinar nada com aquele rapaz que eu mal conhecia e que a minha melhor amiga odiava.

(dentro do elevador)
Joana: Sabrina, eu não o suporto!
-Cá para mim ainda vai dar coisa entre vocês.
Joana: Não digas disparates, eu já estou apaixonada.
-A sério? Por quem?
Joana: Prometes que não te ris?
-Prometo.
Joana: Ela já tem namorada e sei que não tenho hipóteses para além do mais eu não o conheço pessoalmente…
-Deixa-te disso diz logo. Quem é ele?
Joana: O Oliver Tsubasa conheces?
-O…ooo…Oliver Tsubasa?! Mas tem uma namorada como disseste, e parecem muito felizes eu acho que não tens mesmo hipóteses.
Joana: Eu sabia, eu sabia que não me ias compreender.
-Não é isso, tu própria disseste que não tinhas hipóteses e eu apenas concordei.
Joana: Chegámos. -a Joana abriu a porta do elevador e tirou dos bolsos umas chaves e abriu uma outra porta que dizia “Se não gosta de cavalos não nos diga que pode ter chatices”.-Espera não entres…eu volto já.
-Ok.
---
Passado um bocado apareceram dois rapazes que começaram a meter conversa comigo, um era loiro de olhos azuis, e o outro tinha cabelo preto e uns olhos escuros.
Rapaz loiro e de olhos azuis: Olá Sabrina.
-Desculpa…mas eu conheço-te?
Rapaz loiro e de olhos azuis: Não acredito que não te lembras de mim. Sou o irmão mais velho da Joana, o Rui.
-Ah…desculpa. É que já foi há algum tempo que não te via.
Rui: Compreendo.-o Rui aproximou-se do meu ouvido e disse:-O meu amor por ti está aceso, o meu coração bate mais rápido quando olho para ti…-mas de repente a Joana chegou.
Joana: Rui!! Vou ficar fora durante uns dias.
Rui: Vais para onde?
Joana: Vou ficar com a Sabrina, em Nankatsu, ou lá como se diz.
Rui: Precisam de boleia? Eu levo-as.
-E o teu amigo?
Rui: Ele vive aqui à frente e eu já vinha para casa, por isso meninas, acho melhor aceitarem, não é todos os dias que ofereço boleia, e assim escusam de gastar dinheiro num táxi.
Joana: Ok.-sussurou ao meu ouvido-Adoro-te, ainda bem que o meu irmão ainda tem um fraquinho por ti.
-Joana!-ela riu-se.
Rui: Vá meninas, vamos?
---

(Chegamos ao carro)
Rui: Deixa que eu abro-te a porta.-eu estava surpreendida e a Joana só conseguia rir.
-Obrigada…Rui.-quando entrei dentro do carro perguntei à Joana-Ele está bem?
Joana: O amor tem destas coisa…
-Já começas?!
Joana: Já não está cá quem falou.
---
Quando chegamos a Joana tinha adormecido e não a conseguia acordar, estava ferrada a dormir.
Rui: A minha irmã quando está a dormir, está mesmo, é muito dificil acorda-la tem de ser ela a acordar sozinha.
-Pois…já reparei. Podes parar é aqui.
Rui: Nesta casa enorme?!
-Sim. Vou chamar alguém para me ajudar a trazer as coisas da Joana para dentro, e a ela também.
Rui: eu posso ajudar…-eu interrompi-o.
-Não deixa estar. –abri o grande portão que dava aceso ao jardim, bati à porta umas 3 vezes, mas ninguém me a vinha abrir, então decidi ir dar a volta e entrar pela cozinha, quando chaguei ao jardim de trás, apanhei um susto, estavam todos a dormir na rua, seria possível?! Então voltei para o carro e aceitei a ajuda do Rui.
O Rui pegou na Joana, atravessamos aquele jardim, aquele mar de pessoas e dei sinal ao Rui para que pose-se a Joana no sofá. Despedi-mos e agradeci.
Depois subi para o meu quarto e pus lá as coisas da Joana, não a ia trazer para cima por que não conseguia, não tinha força suficiente para isso.
Fui até ao armário e tirei uns quantos cobertores, depois dirigi-me ao jardim e tapei-os com os cobertores, tirei as coisa da mesa e fui pô-las na cozinha. E depois fui para o meu quarto.
Abri a gaveta e tirei uma camisa de dormir que me dava até aos joelhos, vesti-a, abri a cama e adormeci.
---
De manhã acordei com um grito. Desci as escadas.
-Que se passa o que aconteceu.
Tippy: Está uma rapariga no sofá!!
Julian: Tem calma Tippy, tal como disseste é apenas uma rapariga.
Bruce: Bem bonita por sinal.
-Cala-te Bruce.
Benji: Com que então voltas-te. Onde é que te enfias-te eu estava preocupado-sussurrou- e o Mark nem se fala.
-O que disseste desculpa não ouvi.
Mark: nada ele não disse nada.
Tânia: Desculpem mas vou ter de ir, recebi uma proposta de trabalho como modelo na Alemanha, por isso vou ter de partir ainda hoje.
Schneider: Alemanha, que saudades.
Clara: Claro é normal, é a tua terra natal.
Schneider: Tens razão.
Tânia: Fui.-e fechou a porta, mas de repente voltou a abri-la, e sussurrou-me ao ouvido-Tens tanta sorte.- E foi-se embora, e eu estava confusa, o que seria que ela queria dizer com aquilo.

Comentem....Desculpem...Biju...

6 comentários:

  1. Adorei esta demais!!! Mas que era aquele rapaz que ajudou a sabrina ao pé do elevador?

    bjinhos :3

    ResponderEliminar
  2. esta lindo...
    adorei o teu blog e ainda mais o facto de seres um dos membros do nosso grupo...
    vou seguir-te

    bjs !!! SandraP.

    ResponderEliminar
  3. Essa Joana é mesmo parecida comigo,
    Está sempre giro como sempre! Espero que postes o proximo cap. na sexta, sem falta.

    kisu, joana

    ResponderEliminar
  4. Adorei. Também adorei o blog. Está de mais!!!

    ResponderEliminar
  5. Obrigada a todas, mas tive um pequeno contra-tempo...não sei o que fiz ao capitulo seguinte vou ter de o escrever de novo...
    Kiss, para todas!!

    ResponderEliminar